Oi? Positivo?

525172_628877190502938_584189418_n
E foi assim que tudo começou, eu com 22 anos, estava no terceiro ano de faculdade e tinha quatro anos de namoro com o seu pai.
Ficamos surpresos, talvez assustados, mas muito felizes.
Você era só um grão de arroz crescendo dentro de meu útero, mas eu já te amava mais que minha própria vida.
Com certeza a maior e melhor experiência de todas. Você foi aumentando de tamanho mês a mês e adivinha só… Eu também!
Fui ficando mais cheinha e ligeiramente redonda, a cada dia meus pés se pareciam mais com um pãozinho de padaria e as minhas costas passaram a doer como se eu estivesse sido atropelada por um caminhão.
Mas mesmo assim, as pessoas em volta não se cansavam de dizer como eu estava bonita e o melhor mais bonita do que antes. Gente boa estes nossos amigos, não?
No oitavo mês eu olhava para minha barriga e pensava: “Santo Deus para onde vão todos estes quilos que eu ganhei?”.
Eu estava enorme, e não tinha um filho de Deus que chegasse perto de mim sem passar a mão na minha barriga, alias desde que recebi a noticia do “POSITIVO” minha barriga virou praticamente um corrimão de rodoviária, todo mundo (e eu disse todo mundo mesmo, até aqueles que eu nem conhecia direito) dava uma alisadinha na barriga.
E então chegou a tão esperada hora, o dia de seu nascimento. Claro que meio na surpresa, mas em boa hora e graças a Deus no momento certo.
Sem duvida nenhuma o momento mais inesquecível de minha vida.
Minha bolsa rompeu aos oito meses, estava na rua e quem me levou para o hospital foi o seu avô, tadinho a impressão que eu tinha enquanto ele dirigia era que você iria nascer dele e não de mim. (risos)
Cheguei ao hospital já sentindo muita dor, querendo atenção de todos, poxa afinal eu estava dando a luz.
Lembro-me como se fosse ontem a enfermeira grossa dizendo:
-Calma Senhora! Você terá que aguardar mais algum tempo!
-Como assim aguardar? Diz isso para essa criança tentando sair!
As dores só aumentavam e a essa altura eu já não estava mais achando a menor graça em ter um filho, minha vontade era gritar dane-se os procedimentos alguém tira essa criança de dentro de mim!!!!
Passei oito meses lendo e relendo como seria o parto perfeito e acreditando que seria igual nas novelas a mocinha linda de escova nos cabelos e maquiada fazendo um pouco de força e num espirro o bebê nasce lindo e limpo.
Pois é descobri que não é bem assim não!
E depois de muitos procedimentos fui atendida por uma excelente equipe que realizou com glória o momento mais inesquecível da minha vida.
Você nasceu! E era lindo!
Cara de joelho?
De jeito nenhum!
Era o bebê mais lindo do mundo, fofo, gordinho, de furinho no queixo e claro… a cara da mãe!
Mágica. Essa é a palavra mais apropriada para expressar o que eu senti naquele momento.

Lidiane Recco 😉

Sobre Estalos da Vida

...Se você prestar atenção irá perceber que na balança da vida o pratinho que mais tem peso é aquele que a gente coloca as realidades positivas, que podem ser um e-mail, um telefonema, uma mensagem, a voz do vento ou até mesmo o barulho da chuva, um abraço apertado, aquele beijo de saudade, uma bela gargalhada ou aquela mão pegando a nossa com todo carinho... ;)
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Oi? Positivo?

  1. Andrea disse:

    Adoreiiiii!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s